Cantor mineiro Mauai lança primeiro DVD da carreira, sem participação do público; entrevista

. . Nenhum comentário:

A música faz parte do mineiro Mauro Henrique Toledo desde que ele nasceu, conforme ele mesmo afirma “Quando nasci, levei a tradicional palmada e não chorei, cantei”. Com isso, quis o destino que as melodias, arranjos e tudo relacionado a produção musical fizessem parte dele. E todo esse aprendizado que, segundo o próprio cantor, conhecido como Mauai, é constante, está em seu primeiro DVD, Vitória, lançado em maio.

Vitória foi gravado em São Paulo, no final de 2014. Diferente de muitos músicos que sonham em ter o calor humano por perto, Mauai (junção da primeira sílaba do nome do cantor, Mauro, com o famoso jargão mineiro, ‘UAI’), preferiu não ter a participação do público. “Optei por não ter público na gravação, porque quis que o expectador em casa ao rodar o DVD se sentisse num ambiente de intimidade comigo e minha banda, tipo um palco na casa dele. Creio que assim pode-se apreciar melhor letras, melodias e execução”.

 As 13 canções de Vitória, praticamente todas são de autoria de Mauai, ou apenas dele, ou com parcerias. O cantor afirma que vive compondo e de onde vem a inspiração. “Da necessidade de pagar as contas e brincar com melodias, harmonias, palavras e, a partir daís, criar novas ideias musicais”, brincou o cantor que também é ator, diretor e dramaturgo.

Mas ele pontua: “A inspiração vem de estar antenado com minhas emoções, sensações e percepções que me humanizam e me fazem ver o mundo com esperança e beleza e, de certa maneira, inspirar outras pessoas com minha música”.

E tudo isso resume a escolha das canções para Vitória: “A seleção das músicas veio da ideia de traduzir estes sentimentos e emoções positivas que nos ajudam a lidar com as dificuldades da vida, especialmente, a alegria, o bom humor, a paixão e o amor”.

O DVD foi produzido no ano da Copa do Mundo do Brasil. “O nome completo do projeto é Brasílio rumo à Vitória”, explica Mauai. “O projeto foi concebido para a época da Copa no Brasil e queríamos traduzir a expectativa da Copa do mundo e o clima de otimismo do Brasil em ganhar a taça. Então, as canções têm este espírito de alegria, receptividade, simpatia, paixão, essas características peculiares do povo brasileiro que não desiste nunca. Então o projeto tem a ver com coragem, conquistas, superação e vitória. Pena que o time do Brasil não correspondeu, mas a vida segue, com ou sem bola”, conclui.

Todas essas “características peculiares do povo brasileiro” também são vistas nas melodias. Mauai passa pela MPB, com um toque mais agitado, como Beijo na Boca, além de misturar um pouco da cultura musical nordestina em Debaixo do Telhado Dela, por exemplo. “O Brasil é mundialmente respeitado e aclamado por sua riqueza e diversidade musical e claro que minhas influências são várias e excelentes. Procuro então explorar essas fontes rítmicas e poéticas e a música nordestina é uma fonte inesgotável de inspiração. Não perco a essência porque estou sempre em busca dela e encontrando-me com ela e não me perdendo dela”.

Isso tudo está ligado com o constante aprendizado, citado no início desta entrevista e que Mauai afirmou nos agradecimentos do DVD. Onde e como busca esse aprendizado musical? Ele responde: “Ouvindo música, lendo poesia, filmes, cinema, teatro, convivendo com arte e trocando conhecimentos e ideias com todas as pessoas, sejam elas da área musical ou não. Acredito que ideias nascem do coletivo e da interação, então ampliar nossas redes sociais e fugir de padronizações, grupinhos e panelinhas é a grande sacada para ser fértil em criatividade. Todos têm para nos ensinar e sempre temos muito a aprender, basta abrir-se para as possibilidades e oportunidades”.

O principal objetivo de Mauai agora é divulgar seu projeto. “Eu quero apresentar minha música, minha obra e minha banda. Acredito que, com o apoio de pessoas que gostem do meu projeto, terei a oportunidade de ser mais conhecido e assim continuar construindo minha carreira pelos palcos do Brasil. Vitória se constrói todo dia, não é um fim lá longe, distante. É como diz o poeta espanhol Antonio Machado: "Caminhante, não há caminho, o caminho se faz ao caminhar", finaliza o cantor.


Fotos: Hemerson Celtic

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate