Novo projeto de Érika Machado é voltado para o público infantil; saiba mais sobre o “Superultramegafluuu”; entrevista

. . Nenhum comentário:

Música tem o poder de atrais todos os públicos. Mas quando se trata de crianças, além da música, é preciso ter cor e história. E foi com a palavra mágica "Superultramegafluuu" que a mineira Érika Machado lançou o terceiro disco da carreira, com foco no público infantil, em parceria com o projeto Natura Musical.

Érika é formada em artes plásticas e a paixão por música veio na adolescência. “Ganhei meu primeiro violão com 15 anos e eu vim compondo minhas músicas, fiz algumas simples, depois comecei a fazer mais elaboradas, mas isso era uma necessidade minha, não tinha o objetivo de mostrar para as pessoas. A princípio não seria um trabalho”, contou Érika em entrevista ao blog por telefone.

Mas foi em um projeto com alguns amigos que Érika fez, produziu, criou o encarte de seu primeiro trabalho musical, que ela mesma não considera como um disco. “Era um objeto que era música. Eu vendi 800 cópias e ele chegou nas mãos de uma pessoa que quis patrocinar meu trabalho”, explicou.

Foi então que aconteceu a produção do primeiro disco de verdade de Érika, No Cimento, em 2006, que rendeu à cantora o prêmio de Artista Revelação pela Associação Paulista dos Críticos de Artes (APCA).

A princípio, Érika conta que não tinha a preocupação de cantar diretamente para o público infantil. “Mas muitas pessoas me perguntavam se o disco era infantil e eu respondia que ‘pode ser’. Acho que muitos pensavam assim pela linguagem bem simples que escrevo, além da música permitir um monte de camada de leitura. Tanto que, com esse disco, fui indicada e ganhei o APCA. Ele agradou desde crianças até os críticos especializados”.

Érika Machado

E quando a cantora percebeu que parte do público que a acompanhava nos shows era infantil, veio a vontade de fazer algo diretamente para a criançada. “Mas eu não quis deixar de atingir os adultos também, era algo para incluir esse público mais nos meus shows. O que eu mudaria mesmo seriam os horários das apresentações, que seriam mais cedo”.

E completou: “Mas nos momentos em que estava compondo, eu sempre pensei que criança não vai escutar música sozinha, não vai ao show sozinha. Ela sempre está acompanhada de um responsável. Eu sabia que esse adulto também ouviria meu trabalho. Então pensei em incluir todos na minha música”.

Superultramegafluuu

Com produção de John Ulhoa, Superultramegafluuu traz um personagem, Fluuu e a parceria entre Érika e Filipa Bastos que não só ajudou Érika na composição de três canções desse trabalho, como assina a identidade visual do projeto ao lado da cantora. “A brincadeira do nome do disco surgiu quando estávamos no carro. Eu cheguei a pensar em Pra Variar, mas não era nome de disco infantil. E um dia eu acabei brincando no carro, falando várias palavras e veio essa Superultramegafluu. Eu pensei em fazer uma música com isso e transformar esse nome em uma palavra mágica”, contou Érika.

A cantora disse que, a partir desse momento, ela e Filipa começaram a pensar em toda a parte visual e gráfica do disco. “E surgiu esse personagem que a gente começou a chamar de Fluu. Foi uma construção que aconteceu meio que aos poucos”, destacou.

Sobre as composições, Érika disse que a maior parte delas foi criada no meio do processo de produção do disco. “Elefante Amarelo, por exemplo, ela já estava meio que criada, mas a deixei abandonada. Eu sabia que essa música tinha algo legal e dei uma trabalhada nela”. Ao todo são 12 divertidas canções.

A cantora já adiantou quais serão as três primeiras cidades que vão receber o show de lançamento de seu novo trabalho: Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate