Michel Teló protagoniza mais um feito: quadro Bem Sertanejo é lançado em DVD: “Mais um sonho realizado”

. . Nenhum comentário:

Sonhos realizados e sucesso. Essas palavras resumem bem a vida e a carreira de Michel Teló nos últimos anos. E este ano ainda teve um gostinho especial para o cantor que estourou no mundo com o hit Ai Se Eu Te Pego. E esse gostinho é tanto pessoal quanto profissional. Além de ter oficializado sua união com Thaís Fersoza, Teló também mostrou ao país a história da música sertaneja, no quadro Bem Sertanejo, e como o estilo atingiu o topo das paradas, sendo um dos mais tocados nas rádios desde o surgimento do sertanejo universitário.

O quadro, que foi exibido no Fantástico em duas temporadas, se transformou em DVD, lançado na última semana. E qual foi a primeira coisa que Teló pensou quando pegou o DVD e viu que aquilo era real? “Mais um sonho realizado, mais um projeto que tenho muito orgulho de ter feito, muito feliz de ter pensado, trabalhado e executado”, disse o cantor durante um bate-papo com o Farol Pop.

Para o cantor, a “ficha” foi caindo aos poucos, em cada episódio que assistia aos domingos, após as semanas de gravações, conciliando com a agenda de shows, não só dele, mas também dos convidados que foram nomes que fizeram e ainda fazem a história do estilo, como Sérgio Reis, Zezé Di Camargo e Luciano, Daniel, João Bosco e Vinícius, César Menotti e Fabiano, Almir Sater e Milionário e José Rico. “Alguns episódios, eu assisti tremendo de emoção, o coração até palpitava. E eu pensava: ‘tomara que as pessoas curtam’, porque a gente fez com muita verdade. Então em cada episódio a ficha ia caindo”.



Mas não pense que tudo o que rolou nas gravações está no DVD. Um dos últimos episódios do Bem Sertanejo, que foi gravado com Christian e Ralf, não foi ao ar, dando a entender que possivelmente, terá uma segunda edição. Fora os causos nos bastidores que acabaram não indo ao ar também.

“Ah foram várias coisas engraçadas. Uma delas foi na gravação com Leonardo e Eduardo Costa, quando eles relembraram o tempo em que eles cantavam nas ‘casas noturnas da vida’, digamos assim, para não falar o que eles realmente diziam”, brincou Michel, completando: “Daí, por causa disso, a gente não pôde colocar. Foi muito divertida, muito engraçada, irreverente”.

Reação do público

Com o Bem Sertanejo, Michel não só conseguiu contar a história do estilo musical, como também mostrou a essa “geração balada” onde tudo começou, além de fazer com que muitos que já são amantes da música sertaneja, relembrarem histórias em suas vidas.

“É impressionante isso, porque nas próprias redes sociais eu venho acompanhando isso. Quando passavam os episódios, alguns mandavam mensagens falando que não sabiam de certas histórias ou, mais curioso e legal ainda, quando mandavam falando ‘que bom rever isso, me fez lembrar o que meu avô ouvia no toca disco dele’”, disse Michel.
Além disso, o cantor ainda consegui mostrar um pouco mais da sua história na música sertaneja. “Eu recebi o respeito das pessoas também, porque muita gente me julgava dizendo que eu tinha apenas Ai Se Eu Te Pego, mas o que elas não sabiam é que eu já tenho 20 anos de carreira e se eu pegar a minha sanfona, eu posso tocar com qualquer um deles e fazer um som”.


Canções inéditas e novo projeto

Apesar do Bem Sertanejo ser um CD e DVD de regravações, Michel apostou em duas inéditas nesse projeto. A atual de trabalho, Implorando pra Trair, com participação de Gusttavo Lima e Até o Dia Clarear. Ambas são dançantes, mas, ao mesmo tempo românticas.

O cantor explica: “Eu coloquei justamente porque o Bem Sertanejo teve como objetivo contar a história desde que começou até a realidade de hoje que é a música de balada, de festa. A ideia é mostrar essa cara da música sertaneja, mais dançante e romântica ao mesmo tempo, então resolvemos apostar nela e em Até o Dia Clarear”.

E, em 2015, os fãs podem esperar um projeto com apenas canções inéditas, entre as baladas, românticas e também as que Michel denomina de dançantes românticas. “Eu sempre misturei e nesse disco não vai ser diferente. Sempre deixei 70% mais dançantes, independente de ser romântica ou não ou trazer canções no estilo de Te Dar Um Beijo e Implorando pra Trair, que tem esse papo mais romântico. Eu vim do baile e meu disco sempre foi muito eclético. Se der na teia de colocar música eletrônica com a sanfona, eu coloco”.

Claro que os fãs que moram em outros países podem esperar por uma turnê internacional. “A gente tem convites para tocar o ano todo fora, se a gente quiser, mas sempre dissemos que a prioridade é o Brasil. No ano que vem tem muita coisa pra tocar lá fora. O Hiro, que cuida da turnê internacional está brigando comigo para ter agenda e tocar em outros países. Então, com certeza, vamos fazer uma turnê internacional sim”, afirmou.


Relembrando o ano 

Desde o inesperado estouro de Ai Se Eu Te Pego, em 2012, cada ano foi especial para Teló. E 2014, claro, não foi diferente, com já citado no início do texto. E Michel credita o Bem Sertanejo não só como realização profissional, mas também pessoal. “Porque essa ideia eu tinha desde 2011, mas tive que adiar pela agenda de shows e o sucesso de Ai Se Eu Te Pego. E conseguir realizar um projeto tão bonito, que deu tão certo, além de receber o carinho das pessoas por onde você passar, concluir ele em um DVD, diferente do que passava no Fantástico, foi maravilhoso”.

“Se você fizer um churrasco pra uma galera que curte sertanejo e colocar o DVD, todos vão gostar de ouvir, porque só tem os grandes nomes do estilo tocando só na voz, violão e sanfona, de uma forma muito verdadeira”, conclui.

O casamento com Thaís Fersoza também foi outro momento marcante na vida de Teló este ano. A cerimônia discreta e totalmente escondida da mídia aconteceu na casa dos dois, em São Paulo, em outubro. “Esse também foi outro momento muito especial, porque fizemos a cerimônia na nossa casa, que a gente se mudou esse ano”.


E o preço da fama?

Por onde passa, Michel é sempre assediado, independente do local. A citar a turnê de Zezé Di Camargo e Luciano, Flores em Vida, em São Paulo, em que Teló chegou com a mulher para sentar na primeira mesa e, em menos de cinco minutos, estavam rodeados de fãs, querendo tirar fotos e sendo atencioso com todos eles.

“Quando passamos nos aeroportos, viaja de avião, a gente sempre arruma um jeitinho de ficar mais tranquilo, mas onde há pessoas que querem tirar foto, querem dar um abraço, eu sempre trato com o maior respeito, porque meu pai sempre me cobrou isso e tem que ser assim”.

Mas o cantor tem suas estratégias de aproveitar momentos de lazer: “Tem os lugares que a gente vai, como o cinema certo que a gente vai e para o carro no elevador e desce na porta do cinema. Você se priva de fazer algumas coisas, se quiser ir a um shopping andar de boa, não vai ser possível, mas esse é o preço que pra mim é tranquilo, sou consciente, não sofro com isso não”, finalizou.

Fotos: 1 e 3: Farol Pop / 2,4 e 5 - Divulgação/Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate