Com homenagem a Jair Rodrigues, Ju Moraes lança primeiro DVD da carreira em São Paulo

. . Nenhum comentário:

A baiana Ju Moraes, que foi um dos destaques da primeira edição do The Voice Brasil, lançou com um show na última quinta-feira, 8 de maio, em São Paulo, seu primeiro DVD, Em Cada Canto um Samba. O local escolhido foi o Bar Brahma, no encontro das Avenidas São João e Ipiranga, no centro da capital paulista.

Descalça, usando saia longa e top, a cantora levou ao palco do tradicional bar não só as canções de seu atual trabalho, à venda desde o final de abril, como também prestou uma homenagem a Jair Rodrigues, encontrado morto em sua casa, em Cotia, na manhã da última quinta-feira, 8 de maio. Ju cantou Deixa Isso Pra Lá, um dos clássicos de Jair.

Em Cada Canto um Samba

Antes de subir ao palco, Ju Moraes conversou com o Farol Pop a respeito desse seu primeiro DVD que, a princípio, seria apenas um CD. “Quando eu saí do programa, eu sabia o que eu queria. Um CD que tivesse a minha cara, com minhas músicas e regravações que fossem muito importantes para mim. E eu já tinha um parceiro, que é Mikael Mutti. Eu liguei para ele, falando do projeto e ele já me mostrou Na Palma da Mão pelo telefone”, disse a cantora sobre uma das canções que fazem parte do projeto.

A ideia de mostrar os bastidores da gravação do disco surgiu nessa época e a cantora queria divulgar esses vídeos nas redes sociais, para mostrar aos fãs como foi a produção. “Mas um dia eu acordei muito agoniada com o fato de fazer o disco e eu desisti da história de só rede social, mas sim fazer um DVD e gravar o nosso dia a dia. E Mikael veio com a história de não gravar o vídeo no estúdio, mas fora dele, ao vivo, mas sem público e em lugares diferentes”.

Depois de pesquisar, procurando uma empresa que pudesse focar nesse trabalho, Ju Moraes conheceu Victor Jimmy, que assina a direção do DVD. “A gente fez mesmo um reality show da nossa vida e soltamos micro episódios na internet, para as pessoas terem acesso ao trabalho, que durou quatro meses”, explicou a cantora.

E Ju mostra totalmente seu lado compositora neste trabalho, com apenas uma regravação, de A Menina Dança, gravada pelos Novos Baianos. “Quando escutei essa música na voz de Baby do Brasil, eu tive a certeza de que eu queria seguir a carreira musical”, contou. “Cerca de 70% das músicas são minhas ou minhas com parceiros”, completou.

Já foram duas canções divulgadas: Na Palma da Mão e Em Cada Canto um Samba. Sobre o que está por vir em seu projeto, Ju Moraes que deixar “a divulgação bem natural. Agora estamos trabalhando Em Cada Canto Um Samba, porque queremos fixar a ideia do disco e também o nome dele. E agora a gente vai fazer vários shows de lançamento para conseguir levar nosso trabalho e para que as pessoas conheçam”.

Locais das gravações

A escolha das locações para a produção do DVD, incluíram até a fazenda dos avós de Ju Moraes, onde foram gravadas A Menina Dança e Mulher no Samba. “Eu queria mostrar muito o lado da família, porque minha mãe é uma mulher muito forte e uma grande referência para mim”.

“A minha vida no palco se mistura com a minha vida pessoal. É uma coisa que eu não consigo soltar. Achava importante ter muito de mim nesse disco, eu só cortei as partes que eu estava estressada para a galera não ver”, brincou.

Ju também viajou até o Rio de Janeiro para encontrar Cláudia Leitte, uma das participações de seu DVD, na canção Samba Rock com Dendê. Outra participação foi a de Carlinhos Brown, na canção Todavia, uma versão da música de mesmo nome, do cantor argentino Sebastian Schon. Ju encontrou com uma de suas referências na música no Estúdio Ghetto de Baixo, em Salvador.

Ainda na capital baiana, a cantora explorou locais como o Palácio da Aclamação e o Solar Cunha Gueres, no Corredor da Vitória para as gravações.

“Teve chuva inesperada, foi uma loucura. Foi uma invenção muito bacana que deu certo, mas tinha tudo para não dar certo”, destaca.

Samba baiano

Antes da participação no The Voice Brasil, Ju Moraes já batalhava pelo espaço na música com sua banda. Mas o fato de uma cantora da considerada terra do axé, ter escolhido samba, gerou algumas dificuldades e até preconceitos.

“Quando eu comecei, há 5 anos, tinha mito preconceito, principalmente na Bahia, porque as pessoas não entendiam muito o que a gente fazia. Me questionavam por que eu não escolhi o axé e eu falava para irem ver meu trabalho e de minha banda. Eu amo folia, carnaval é uma referência muito forte na minha música. Mas o samba me escolheu, não fui eu quem escolheu o samba”.

O amor pelo estilo musical é tamanho que Ju Moraes tatuou a palavra ‘samba’ em seu braço direito. “Quando eu tatuei, meu empresário me chamou de maluca, porque ele achava que poderíamos mudar de estilo. Eu falei pra ele ficar tranquilo que isso não ia acontecer e não aconteceu mesmo”, finalizou.

Mais fotos abaixo do show de Ju Moraes no Bar Brahma:











Fotos: Farol Pop

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate