Mais uma voz feminina no sertanejo: saiba mais sobre a cuiabana Laís

. . Nenhum comentário:

O sertanejo ganha mais uma voz feminina: Laís acaba de lançar seu primeiro CD pela Som Livre e comemora a conquista. Mas a música faz parte da cantora, hoje com 22 anos, desde os cinco, quando implorou para cantar junto com um amigo da família em um festival em Cuiabá, cidade natal. “Eu fiquei chorando até eles me colocarem para cantar”, disse a cantora ao Farol Pop.

E assim tudo começou. Aos 7 anos, Laís foi para São Paulo onde com o nome de Yasminm lançou três discos. “Meu nome, na verdade, é Laís Yasmin, então usei meu segundo nome nestes três discos”, explicou.

Mas após uma participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, Laís passou a ser mais procurada, ainda mais que cantou ao lado de ninguém mais, ninguém menos que Roberta Miranda. “Tudo isso ajudou bastante, porque as pessoas passaram a procurar pelo meu trabalho, saber das músicas que canto e minha história”.

Sertanejo pop

Em 2013, com o primeiro disco pela Som Livre, Laís resolveu usar seu primeiro nome e contou com a produção musical de Marco Abreu, amizade que começou antes mesmo da produção do álbum. “Ele tocou 10 anos com Bruno e Marrone e eu o conheci em um show da dupla e essa amizade já dura há muito tempo e este ano ele que me ajudou na escolha do repertório desse CD”, contou.

Laís conta que para apenas para a escolha do repertório foram cerca de quatro meses. Grande parte das canções é assinada por Marco Abreu e, apesar do sertanejo com uma batida mais pop, a cantora tem influências de duplas renomadas como Chitãozinho e Xororó, Zezé Di Camargo e Luciano e Leandro e Leonardo.

“Eu considero esse CD todo meu, com identidade muito própria e junto com o Marco Abreu, a musicalidade deu muito certo. Mas eu sou apaixonada por música raiz. No meu show, vamos tocar músicas raiz”, disse, definindo seu estilo. “Considero que seja sertanejo pop romântico”.

Compositora

Neste novo disco, não há composições assinadas por Laís, mas a cantora compõe nas horas vagas e mostra que seu forte. “São mais românticas. Meu forte é o romantismo em tudo”.

Ruim e bom

Cada vez mais, mulheres estão se destacando no meio sertanejo, antes predominado por homens. Apesar disso, Laís ainda vê um espaço difícil de ser conquistado, mas não impossível.

“É ruim porque ainda é um meio muito masculino ainda, mas é bom, porque passa a ser um diferencial. A gente vê cantoras como Paula Fernandes ou Maria Cecília [da dupla com Rodolfo] que batalharam para conseguirem o espaço e hoje são sucesso. E isso eu admiro muito e quero conquistar meu espaço”, finalizou.

Assista abaixo ao clipe de Eu Só Queria Te Amar, atual música de trabalho de Laís:



Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate