Direto do Tocantins: Henrique e Juliano comemoram sucesso do primeiro DVD da dupla, gravado em Palmas

. . Nenhum comentário:
Henrique e Juliano
Os versos “Ai tô valendo nada, vish, a minha carne é fraca, nossa, assim você acaba me matando...” andam tocando em diversas baladas sertanejas, não só de São Paulo, mas em diversas outras cidades em todo o país. E a dupla que gravou o hit Não Tô Valendo Nada, Henrique e Juliano, comemora esse sucesso, que faz parte do primeiro DVD dos irmãos, gravado no estado natal, Tocantins.

A dupla sertaneja chegou a São Paulo e o primeiro show foi no lançamento da programação de Barretos, em agosto, na tradicional Villa Country. “Existe a dupla Henrique e Juliano antes e depois desse show”, disse Henrique que, junto com o irmão, se apresentou na Wood’s Bar, na capital paulista, na última quarta-feira, 11 de setembro.

“Mudou principalmente a visibilidade. As pessoas começaram a enxergar a gente, começaram a ver realmente que a dupla dali [do show] começaria ser realidade para o Brasil inteiro”, completou.

E nesse show no Villa Country, eles puderam ceder o palco para ninguém mais, ninguém menos que Chitãozinho e Xororó, que foram os padrinhos da Festa de Peão de Barretos este ano. “Eles entraram e a gente saiu. Eu fui para trás do led e você pode ter certeza que ali eu chorei”, contou Henrique.

Juliano também lembrou que o pai os levava aos shows da dupla. “Nosso pai também já fez algumas viagens pra ver o show deles e só de vê-los cantando com a nossa banda foi um dia muito especial”.

DVD

Os cantores levam para o palco as canções gravadas no primeiro DVD Henrique e Juliano Ao Vivo em Palmas e, além de Não Tô Valendo Nada, que tem a participação dos padrinhos musicais da dupla, João Neto e Frederico, outras canções já andam entre as mais tocadas, não só nas baladas, mas também nas rádios, como Mistura Louca, Separa, Namora e a atual música de trabalho, Tá Namorando e Me Querendo.

“A gente está muito feliz com a repercussão desse DVD. É com esse DVD que a gente tem rodado o Brasil inteiro, a gente tá muito feliz, porque não é só uma música que está tocando, a galera está pedindo todas as músicas do DVD. Tem música que não tem nem muitas visualizações no Youtube e a galera está pedindo. Então é tudo muito lindo”, explicou Juliano.

Linguagem

Apesar das canções mais agitadas, com letras sobre situações que acontecem nas baladas, Henrique e Juliano também tem o romantismo no repertório, Segundas Intenções, e até o funk em Mistura Louca. “O Juliano é funkeiro”, brincou Henrique.

Mas a dupla acredita que essa mistura de linguagens e estilos se deve, principalmente, à terra natal da dupla, Tocantins. “Acredito que a gente tenha uma vantagem muito grande de ser de Tocantins, porque o Tocantins absorve a cultura de todos os estados brasileiros, não tem preconceito de nada, então a gente escuta de tudo, tem uma certa facilidade de compor”, explicou o cantor.

E Juliano completou: “A gente faz o que acredita, vem a ideia na cabeça. Às vezes estamos na balada e vem uma ideia e está com o celular na mão e grava logo e quando chega em casa termina de gravar”.

Já as composições voltadas para o que acontece entre grupos de amigos em casas noturnas, a dupla acredita que isso não vai acabar. “Sempre vai continuar rolando, porque a gente não fez o público fazer nada, o público que fez a gente fazer uma música. Antes de sermos cantores, também somos público de outros artistas. A gente gosta de sair, eu sou muito observador, gosto de ver o que o povo está falando”, disse a dupla.

Influências

Ao serem questionados sobre as inspirações para compor e cantar, Henrique e Juliano citam uma das duplas que foi um grande destaque no meio sertanejo: João Paulo e Daniel. “É a dupla que a gente mais ouve, mais canta quando está em casa, com os amigos”, contam os cantores.

Henrique ainda destaca: “Uma pessoa morre quando ela é esquecida e, pra gente, João  Paulo está muito vivo, principalmente na nossa voz, no violão, nas rodas de viola com a família”.

Outros nomes citados pela dupla foram Chitãozinho e Xororó e Zezé Di Camargo e Luciano. Mas Henrique explica que ele e o irmão não possuem apenas influências musicais: “O ser humano, para ser moldado, ele precisa se espelhar: Mamonas Assassinas, o Brasil não conheceu um momento ruim deles. Ayrton Senna é um exemplo de caráter e de humildade”.

“E tem o nosso pai, que foi uma grande influência mesmo”, destacou Juliano.

João Neto e Frederico

Na semana passada, o Farol Pop conversou com João Neto e Frederico, que não pouparam elogios aos cantores (leia AQUI).

Sobre a relação entre as duplas, Henrique brinca: “É só risada, Fred não vale nada. Sempre que estamos em Goiânia, tem churrasco na casa do João Neto e reúne todo o pessoal, amigos, do escritório”.

Mas Juliano ressalta: “Somos convidados surpresa, porque eles esquecem de chamar a gente. Mas esse esquecimento é proposital, porque a gente fica por último”.

A dupla mostra que a relação não é apenas profissional. “É muito gostosa essa parceria, porque o carinho não é só profissional, rola amizade entre a gente e amizade verdadeira. A gente deve muito a eles, que ajudaram a nos mostrar para o Brasil. O nome deles vendeu a dupla Henrique e Juliano e a música de Henrique e Juliano”, finalizou.

Ouça Não Tô Valendo Nada:



Conheça também a atual música de trabalho da dupla, Tá Namorando e Me Querendo:




Fotos: Bruno Franco


Casa lotada para apresentação de Henrique e Juliano

Henrique e Juliano

Dupla durante a apresentação na Wood's Bar, em São Paulo

Durante o show, Marcos e Belutti cantaram ao lado de Henrique e Juliano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate