Roberta Miranda: 25 anos de carreira e muita história para contar

. . Nenhum comentário:

Mulheres no mundo sertanejo estão ganhando seu espaço, desde que o estilo se destacou há mais de dois anos. Paula Fernandes, Suellen Santos, Bruna e Keyla, além de cantoras que formaram duplas mistas, como Maria Cecília e Rodolfo e Thaeme e Thiago, são nomes que são tocados em rádios de todo o Brasil. Mas Roberta Miranda pode dizer que, para chegar onde chegou, o preconceito foi algo que precisou suportar durante anos, até o sucesso, completando, em 2013, 25 anos de carreira, com o lançamento do DVD Roberta Miranda – Ao Vivo Em Estúdio, comemorando a data.

E foi em um encontro com a imprensa, em sua casa, em São Paulo, que Roberta relembrou histórias da carreira, se mostrou fã de Roberto Carlos, além de contar diversas histórias desses 25 anos de sucesso. 

História


Mais de 20 discos em sua carreira, somando cerca de 18 milhões de cópias vendidas. Roberta Miranda relembra que, quando decidiu entrar para o mundo da música, precisou enfrentar a família, antes de qualquer coisa, mas não dos pais – que eram instrumentistas – mas sim dos irmãos, que desejavam que Roberta fosse professora.

“Foi uma luta com a família desde os meus 16 anos. Eu pendi para um lado artístico, porque nasci artista. E faz pouco tempo que descobri que meu pai era saxofonista e ele nunca tinha me falado isso. Minha mãe era pianista. Meus pais foram os que mais me deram força e meus irmãos queriam que eu fosse professora, porque venho de uma família de educadores”.

A cantora ainda disse que, quando entrava no ônibus para ir à escola, acaba faltando às aulas para tocar violão. “Eu descia do ônibus e ia tocar. Até que um dia, eles descobriram. Imagina a surra que eu levei”, lembrou.

Sertanejo na época da Bossa Nova
Foi graças à cantora Nalva Aguiar, que Roberta se apaixonou pelo sertanejo. A cantora trabalhou durante 14 anos em bares de São Paulo, sendo dirigida por nomes como Augusto Cesar Vanucci e Abelardo Figueiredo.

“Eu, vez em quando, cantava Índia, Meu primeiro Amor, colocava no meu repertorio Cascatinha e Inhana, colocava Zé Fortuna e percebia que pouquíssimas pessoas paravam para olhar e observar o que eu estava cantando. E foi assim que eu fui passo a passo me apaixonando pela música raiz sertaneja. Até que um dia eu tive o prazer de conhecer Nalva Aguiar, que eu adoro e reverencio, e pedi para ser a secretaria dela. Eu precisava ser a secretaria de Nalva, porque eu queria caminhar nesse mundo sertanejo”, disse Roberta.

Mas Nalva já tinha sua equipe completa, mas deu a oportunidade a Roberta de aprofundar e conhecer ainda mais o mundo sertanejo. “Ai, a paixão veio mais forte ainda. Eu podia ser o que eu quisesse, por exemplo, ir só pra música popular brasileira, porque sempre cantei todas as canções desse universo na noite. Mas foi o sertanejo que arrepiou a minha alma, oo que me calou fundo foi a melodia e a canção sertaneja”, explicou.

Ser respeitada


Roberta Miranda é um dos nomes mais respeitados da música sertaneja na atualidade. Mas, para a cantora chegar aonde chegou, foi preciso muita luta para conseguir o respeito de outros cantores:

“Vinte cinco anos atrás tudo era uma loucura. Eu tive que demonstrar, através do meu talento, para adquirir respeito dos meus colegas, onde quem dominava era a bota e chapéu. Tinham as Irmãs Galvão, dupla que eu admiro muito. Mas quando um artista solo apareceu, eu tive bastante dificuldade, sofri muito. E, com paciência, eu tive que mostrar ao longo do tempo que contra o talento não existe argumento e foi assim que eles começaram a me respeitar. E carregar essa bandeira por 25 anos, é claro que a gente adquire uma responsabilidade triplicada”.

DVD em Estúdio


Roberta Miranda – Ao vivo em Estúdio possui 18 faixas, sendo 2 inéditas e 1 regravação, de Café da Manhã, de Roberto e Erasmo Carlos. Entre as novas, Alcione é a participação especial, em Quem Sentiu. No estúdio, apenas Roberta, sua banda e 25 fãs de todo o Brasil, escolhidos pela sobrinha da cantora. “Teve gente que saiu de Belém, Rio de Janeiro, Recife, João Pessoa. O Brasil inteiro estava ali”, disse.

Roberta disse que o projeto de gravar em um estúdio, mais intimista, começou há dois anos. O quarto DVD da cantora começou a ter seu primeiros traços quando Roberta estava na sala de sua casa e escreveu alguns planos. “Pensava em como faria algo diferente. Então eu cheguei à conclusão, junto com a minha empresária que faríamos para estes 25 anos carreira, algo intimista, diferenciado, dentro de um estúdio, valorizando três coisas para me dar de presente: a musicalidade, a  voz e o artista”.

E a direção é assinada pela própria Roberta. “Ele [o DVD] é o filho que eu tenho mais ciúmes”, brinca a cantora ao falar do DVD. “São os meus 25 anos de carreira, eu sei o que eu passei para chegar até aqui. Mas encontrei pessoas que me respeitam e isso é importante para mim”, conta.
Maria

Um dos grandes desafios de Roberta não foi apenas dirigir o DVD, mas também cantar a primeira letra que escreveu, para homenagear a mãe, Maria. “Foi essa música quem deu a foto da capa do DVD. Se vocês assistirem, vão ver que a foto foi tirada em um momento que eu estava dizendo: ‘Poxa, mãe, realmente conseguimos’. E foi nesse momento que ele tirou a foto. Maria foi a primeira canção que eu fiz e eu tinha 16 anos.

Fãs


Para Roberta, fã nunca a incomoda. “O que me incomoda é o não fã. É aquele que não me pede autógrafo, aquele que não me pede foto. Eu faço analise há 19 anos e aprendi que: tá de mau humor, não tá a fim de atender o fã, então fique dentro de sua casa. Você é uma pessoa pública, botou a cara pra fora. É outra coisa. E eles são muito carinhosos, claro que tem alguns que não querem saber do seu momento, se você está comendo, se está com dor, mesmo porque não está escrito na testa. Mas eles são o meu tesouro”, finaliza.

Faixas do DVD:
1 – Esperando Você Chegar
2 – Dói
3 – Maria
4 - Tempo Ao Tempo
5 – Lua de Angola
6 – São Tantas Coisas
7 – Dia D
8 – Pot-Pourri: Sol da Minha Vida/Desespero de Uma Noite
9 – Majestade Sabiá
10 – Quem Sentiu (participação especial: Alcione)
11 – Onde Mora o Coração
12 – De Igual Para Igual
13 – Pot-Pourri: Carinho/Tô Querendo (Esse Tempo Todo)/ Me Dá Um Beijo
14 – Café da Manhã
15 – Medo
16 – Duas Taças
17 – É Amor Demais
18 – Vá Com Deus

Foto: Rosa Marcondes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos

Facebook

Newsletter

Translate